Autores População

Clube do Livro Maceió incentiva leitura e sociabilidade através do sarau O Escritor Interior

Clube do Livro Maceió incentiva leitura e sociabilidade através do sarau O Escritor Interior

O gosto pela literatura não apenas transporta leitores para a fantasia, possibilitando a construção de espaços imaginários com seus personagens e rostos. A paixão pelos livros faz com que a vida vivida na realidade ganhe mais cores, mais sabores e mais sentidos. É isso que vem fazendo o Clube do Livro, que na 8ª Bienal do Livro de Alagoas, realizou o sarau O Escritor Interior, encerrando a última noite do maior evento cultural, literário e artístico de Alagoas, e fazendo conhecido do público visitante esta iniciativa que possibilita aos leitores se tornarem seres emancipados, protagonistas de suas próprias vidas e escritores de seus próprios destinos.

Abrindo o recital, o clube apresentou um documentário produzido de maneira independente e espontânea, em que os membros do clube expõem suas experiências com o livro e relatos de sociabilidade. Muitos jovens contam no registro em vídeo que além de exercitar sua capacidade imaginativa e de criação, passaram a aumentar seus círculos de amizade, de interação social e de interesse por assuntos importantes para o convívio em comunidade e desenvolvimento de uma sociedade pautada no respeito, na evolução do pensamento e na valorização dos saberes.

A récita iniciou com o rigor e o encantamento de Drummond, lido a partir do poema Memórias. Entre uma declamação e outra, os integrantes do clube alternavam leituras de referência com escritos autorais, em sua maioria sobre cotidianidades, saudades, relações de afeto, amor. Como disse Pessoa, “Também escrevi em meu tempo cartas de amor…”, fica nítido o quanto a literatura afeta os leitores em suas sensibilidades e maneiras de enxergar o mundo.

Andressa Lopes, uma das organizadoras do Clube do Livro, fala das consequências de viver imerso nesse mundo das letras e de como o contato com outros leitores, possível através dos encontros mensais do clube, transforma a sociabilidade dos integrantes. “Estamos vivendo uma época em que os jovens se sentem muito sozinhos, incompreendidos e sem esperança”, revela.

Recebemos pessoas de todas as idades no grupo e muitas delas relatam situações de depressão, ansiedade e sentimentos de angústia. Então o clube traz uma alternativa de ajuda para que pessoas possam se sentir mais apoiadas, facilitando relações por afinidade com literatura e diversos assuntos, pois atualmente, no grupo não discutimos apenas sobre leituras, mas sobre jogos, séries, filmes, cultura geek, e também assuntos mais densos como política, sexualidade ou qualquer outro tema, que geralmente surge de maneira natural, de acordo com as necessidades da fala de cada membro, nos encontros.

Valorização da literatura alagoana e da cultura urbana

Durante o sarau, a integrante Camila Santos falou da importância de valorizar escritores e poetas alagoanos, uma vez que massivamente a própria indústria do livro força a difusão de autores considerados universais e mais populares. A jovem falou da paixão pelo escritor Ledo Ivo e lembrou um dos poemas do conterrâneo: Soneto Puro.

O encontro também abriu espaço para a cultura jovem, quando o participante Geysson Santos, da Cia Hip Hop apresentou a poesia urbana, provocativa e característica deste movimento, numa rima cheia de crítica social e pensamento reflexivos sobre situações de opressão.

Compartilhando experiências

Andressa Lopes destacou que o Clube do Livro trabalha com parcerias. Uma delas é com a ativista da leitura Patrícia Gomes (grupo Germinando), que trabalha com outro conceito de compartilhamento de leituras: é o BookCrossing, prática que incentiva leitores a permitir que livros viagem de mão em mão, entre leitores que não se conhecem. A ideia consiste em deixar livros em transportes coletivos, salas de espera ou quaisquer locais que tenham grande circulação de pessoas que não têm nenhuma conexão umas com as outras. Assim, elas recebem um livro junto de um bilhete, incentivando a leitura e o repasse das obras para outros desconhecidos.

Clube do Livro Maceió e iniciativas de inclusão a partir da leitura

A organizadora do clube, lembra que o grupo também trabalha com iniciativas de inclusão social a partir de atividades como contação de histórias para crianças em situação de risco social e que vivem em comunidades carentes. “Nesta semana da criança estamos com uma proposta de arrecadar, livros, brinquedos, ou qualquer tipo de doação que faça uma criança feliz. Vamos juntar toda a arrecadação e levar para comunidades carentes. Aqueles que quiserem nos ajudar podem entrar em contato conosco”, convida.

Para participar do clube do livro e fazer doações que ajudem na manutenção dos projetos do grupo basta entrar em contato pelo telefone 99802-4815, através do Instagram @clubedolivromaceio e do Facebook: Clube do Livro Maceió.

Marcio Cavalcante – jornalista

Fotos: Thiago Prado

IMG_0284

IMG_0311

Faça seu comentário

*Nota: Seu e-mail será mantido em segredo e não será publicado